O nome Quarupe foi cogitado antes mesmo da primeira reunião oficial para a formação do Grupo. Ao visitar o Fogo de Conselho de aniversário do GE Bacuri, em 1993, durante a abertura, o chefe Robson Moraes, convidado a dirigir a cerimônia, fez referência ao Karup como uma celebração de união. Após a fala de abertura, a chefe Olga Gimenez afirmou: Você já tem o nome para o nosso Grupo, percebeu? Logo após, na primeira reunião, realizada na Paróquia São João Maria Vianey, o nome foi proposto e aceito por todos os envolvidos na fundação.

Kwarup é o nome dado a uma festa que celebra os antepassados. Ao mesmo tempo que relembra os mortos, é uma festa alegre, com danças, cantorias, lutas e rituais que, de certa forma, culminam com a ressurreição simbólica dos mortos homenageados. Essa festa traz uma das principais características do povo Kamayurá que é o bom relacionamento com os demais grupos nativos da região do Alto Xingu. O termo “Quarupe” foi escolhido em uma das primeiras reuniões com pais dos interessados, por ser de “fácil grafia” (versão em português de “Kwarup”).

Escoteiros do Brasil - Educação e lazer para crianças e jovens